terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

passo-com-passo


Todo esse tempo...


Meus passos andaram tranquilos, equilibrados, juntos.

Enquanto o mundo clamava por um par, meus passos já nasceram acompanhados. E um não andava sem o outro. A pegada de um encaixava perfeitamente com a do outro. O direito sabia se sobrepor ao esquerdo, quando necessário, ou se juntavam, lado a lado, sem que houvesse a mais remota possibilidade de separação.

Quando um se feria, o outro carregava mais peso para compensar.

Revezavam o desconhecido: água muito fria da piscina testada por um, água da banheira muito quente experimentada por outro.

Eles dividiam as dores e os prazeres: prazer de tocar grama, areia, mar. Prazer de poderem acariciar um ao outro antes de dormir. Doíam juntos de tanto perambular. Ou de dançar. E também ganhavam massagens, beijos, tratamentos de beleza, preparando-os para passos ainda mais bonitos.

Meus passos iam bem, se acompanhavam.

Cruzaram-se com outros pares de passos. Por vezes, iam de encontro a eles. Outras vezes, simplesmente acabavam seguindo caminhos opostos. Às vezes, meus passos eram pisados por outros. E doíam-se.

Por todo esse tempo.

Mas houve um momento do percurso de meus passos em que eles conheceram os seus. Os seus eram maiores, mais firmes, determinados. Seus passos se afastaram e se aproximaram dos meus. Nunca foram muito mais longe. Os seus também já haviam conhecido outros passos, mas não como os meus.

Você deixou que meus passos experimentassem suas pegadas. Meus passos cabiam nelas. Tentaram aprender com elas. Foi assim que eles puderam sentir suas dores e seus caminhos, até mesmo os atalhos.

Você fora seguido. Mas não era disso que seus passos precisavam agora. Nem os meus.

Com os seus, meus passos perceberam que o ritmo de andar pode ser mais completo quando feito por quatro. E que dois passos que acontecem ao mesmo tempo têm mais força do que um de cada vez.

Meus passos escolheram acompanhar os seus. Eles entenderam que, se ambos se machucassem, teriam outros dois para carregá-los. Que, no chão muito quente, poderiam encontrar proteção em cima dos seus.

Meus passos abriram espaço em sua jornada.
Um par era bom, mas dois pares dariam conta de qualquer caminhada...

6 comentários:

mãe disse...

Amei!!!!Lindo,lindo!

Anônimo disse...

Sempre escreve coisas bonitas. Deve ser por escrever com o coração, ou porque pessoas boas sempre escrevem coisas boas...eu não sei, maas fiquei emocionada e queria dizer que sempre acho lindo, tudo que você escreve! Beijos e Felicidades!

Vanessa Souza Moraes disse...

Melhor, sempre é...

http://vemcaluisa.blogspot.com

Tabuleiro Chic disse...

Bia linda,
Participe do concurso Mais Bonita no blog Tabuleiro Chic e concorra a um liiindo kit de pulseiras!!
Sei o quanto vc tem criatividade! Grande candidata!!!
Bjinho, Ju e Equipe Tabuleiro Chic

Ni.blogspot.com disse...

Lindo prima...é muito bom ter outros pares para acompanhar!

Cláudia disse...

depois de conhecer teu blog, gostei ainda mais de vc! beijo grande e náo vamos perder contato.
claudia