sábado, 12 de fevereiro de 2011

You can cry...


Tenho visto tantas crianças ao meu redor... Crianças rindo a valer ou chorando com toda a força e revolta. Parece-me que falta à gente, às vezes, essa coragem de rir ou chorar como criança.

Rir de besteiras. Rir bem alto. Dar gargalhadas. Rir pra qualquer coisa e pra muitas pessoas por dia. Abrir um largo sorriso só porque te desejaram um bom dia. Rir do que é engraçado e até do que não tem graça. Rir porque é bom ouvir uma risada, ainda que seja a sua.

Ou, às vezes, chorar e chorar muito. Chorar de soluçar! Chorar com ruídos, com lágrimas pesadas realmente rolando no rosto, uma em cima da outra. Chorar porque deu vontade. Chorar porque tem motivo. Ou não. Só pra chamar a atenção. Chorar porque não era assim que você queria. Chorar porque se bateu no móvel ou porque algo seu se quebrou. Chorar porque acordou sozinho, no meio da noite, assustado.

Chorar porque alguém tem que ir embora ou tem que ir trabalhar e você não quer o afastamento. Crianças não têm noção exata do tempo. O tempo de alguém ir e voltar é uma eternidade, mesmo que sejam apenas algumas horas. E elas choram por essa ausência. Depois esquecem! Distraem-se com tantas outras coisas legais. Mas realmente lamentam a partida.

Chorar porque tem que tomar remédio. Porque tem que ir ao médico. Elas choram porque precisam tomar remédio ou porque estão doentes? Não sei ao certo, mas ambas as opções são, de fato, lamentáveis.

As crianças choram... Os adultos não choram mais do mesmo jeito. As lágrimas diminuem na mesma medida em que o corpo cresce. A gente amadurece. E gente madura chora devagar, silencioso, escondido.

Pois eu digo que devemos voltar a ter crises de choro de criança. Chorar muito! Com vontade! Ficar vermelho de tanto chorar!

Talvez a gente até ganhe um beijinho, um carinho...

E depois - por que não? - a gente até pode vir a dar muita risada de novo!

5 comentários:

Tempestade Interior disse...

Aprendi, recentemente com um amigo, a viver o presente, viver nossos anseios, angústias, enfim... viver o momento.
Segundo o comentário desse meu amigo em meu blog: "o filme 'The Peaceful Warrior' ou, título traduzido errado no brasil: Poder além da vida:

'Sempre há algo acontecendo. Não há momentos comuns.' Todo momento é O momento.

- Onde você está?
- Aqui.
- Que horas são?
- Agora.
- Quem é você?
- Este momento." G.F.

É isso... precisamos não ter medo de viver!
Abraço ;D

alenacairo disse...

A questão é mais ou menos esta. Por isso gosto tanto de trabalhar em escolas/universidades. O contato com o humano tão direto, tão próximo, faz com que não nos esqueçamos da também nossa dimensão humana. E ver as crianças tão felizes e tão tristes todos os dias e ver esta roda da Fortuna que é a vida... só me faz crer na humanidade.

Sim, sim. Chorar faz bem. Pena que adultos precisem geralmente chorar em segredo.

mãe disse...

Concordo que devemos rir e chorar da maneira como fazíamos quando criança.Até berrar! Com certeza nos sentiríamos muito melhores depois disto.

Anônimo disse...

As crianças muitas vezes choram sem motivo e nos piores momentos: choram porque são infelizes ou, simplesmente, para romper as caixas?

Clarissa disse...

Ah, eu choro! choro de alegria, de tristeza, de raiva, de dor, não importa o motivo. não tenho vergonha de derramar minhas lágrimas. elas me aliviam... não importa os outros, importa que se me dá vontade de chorar é pq um sentimento em mim precisa transbordar, então choro! como gosto de dar boas gargalhadas... até chorar de tanto rir! :0))