domingo, 10 de maio de 2009


Há nós que não se desfazem.

Menos nós.

12 comentários:

O Profeta disse...

As andorinhas do Mar chegaram
Com alegria tatuada nas penas refulgentes
Soltam chilreados estridentes
Dançam no azul, rodopiam contentes

A maresia adormeceu na areia
O mar transformou-se em espelho de água
Uma nuvem mirou-se nele
Verteu uma última gota de mágoa


Boa semana


Doce beijo

Mirdad disse...

Dependendo do contexto, ainda bem.

Concha disse...

Além de laço apertado,pode ser aquele "nó" na garganta de provoca angústia,dói e também não se desfaz.
Bjs

Greice disse...

Lindo!!

Terra de Pan disse...

Faz tempo que não comento e me perdoe por ser relapso. Menos falta de tempo. Adorei pra variar...

taturinga disse...

Eu realmente gostei do seu blog, por isso recomendei. rsrs
Desculpa a invasão tá?
Aquele texto que eu copiei é seu?
Liindo **

Bjão, boa semana.

David disse...

Até mesmo os nós que não se desfazem podem ser desfeitos.
Se foi construído pode ser destruído.

Bianca De Vit disse...

Profeta, lindo poema!! Obrigada e valeu pela visita, mais uma vez!

Mirdad, o contexto não é sempre claro... Portanto, o "ainda bem" também não é garantido, né?

Concha, o nó na garganta que não se desfaz é realmente angustiante... O ideal é que saia dali... ou sendo "digerido", ou vomitado. Freud explica!

Prima Greice, valeu pela tua leitura, como sempre!!

Terra de Pan... O que importa é que, no tempo que te sobra, tu consiga dar uma passadinha por aqui, o que para mim é uma honra!

Taturinga, pode invadir sempre!!! E sim... aquele texto é meu mesmo (!!!). Fico feliz que vc tenha gostado!

David, até concordo que tudo o que foi construído possa ser destruído. Mas creio que as coisas nunca voltarão a ser as mesmas depois disso.

Obrigada pela visita e leitura de vocês!! Adoro!!

Mirdad disse...

É bom a clareza participar do teu olhar. Talvez esteja esta a falha de tua percepção. Frieza.

mãe disse...

Os nós que QUEREMOS desfazer conseguimos desatar , com muito tempo e paciência . Mas sempre ficam os sinais ,claro .
bjs
mãe

Anônimo disse...

Bianca,
já tinha saudade da tua escrita.
Invadi o teu blog e li muito. Muito bom. Sempre.
Beijo, agora, de Joinville.

Fábio Santana
Instrutor Método DeRose

Priscila disse...

Adorei!