sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Mente sem lembrança

Se a vida imita a arte, a minha bem que poderia dar uma de Sétima Arte... Mais especificamente, "Brilho eterno de uma mente sem lembrança".


6 comentários:

David disse...

E por que você gostaria de apagar alguém? Seria o mesmo motivo apresentado no filme?

Bianca De Vit disse...

Se não está dito no texto, é para que o leitor possa imaginar, David...

Rômulo Mafra disse...

Adorei este filme!!!!! Mas, não gostaria de apagar muita coisa não... aliás, uma ou outra experiência "desnecessária" (daquelas que não faria a menor falta - apesar de... com o tempo, ela nem faz tanto efeito assim) ehehehhehe

Mariana disse...

Te entendo, te entendo, já desejei e escrevi exatamente isso no meu blog antigo. Daí choveram comentários do tipo "quem esquece não aprende". Sei lá, ainda não tenho tanta certeza assim...
:)
Bj.

Clarissa disse...

Como no filme, o que é pra ser será. Não dá pra apagar da mente aquilo que está no coração!
bjos

Emerson Souza disse...

Eu adoro o raciocinio que este filme provoca...aliás, admiro o Charlie Kaufmam (roteirista) e sua forma de comunica através das suas fantásticas e impresíveis estórias.
Bjus.