segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Vida:

Os motivos que a fundam
Também afundam.



2 comentários:

Cláudia Muniz disse...

Bianca querida!
Teu blog está cada vez mais lindo! Sempre que tenho tempo passo por aqui e acabo encontrando textos maravilhoso, inspiradores, estimulantes.
Parabéns pelo teu talento inabalável!
Tenho muitas saudades de ti e ainda espero uma visita tua aqui no sul pra marcarmos um café (:
Tudo de bom, abraço gigante minha eterna best teacher *-*

Tempestade Interior disse...

Querida, vim respoder ao comment aqui em seu blog,

De fato eu tava bem dramática ontem. Mas passou. E, Bee, obrigada pelo comment.

Aprendi que apenas vivemos em fases, e quando nos decepcionamos e nos desiludimos por algum motivo, tudo pelo que acreditamos parece se dissolver no ar. Mas apenas nesse breve momento de mágoa.
Depois, o que aconteceu se transforma apenas em experiência construtiva e nós, então, compreendemos o quão imperfeitos somos e o quanto precisamos lapidar em nós mesmos.

Aprendi que todos somos seres humanos e temos momentos de maturidade e outros de infantilidade por nossa própria falta de experiência e falta de saber olhar mais além.

Sim, Bee, acredito no amor. Mas aprendi que ele não está fora, no externo, mas dentro de nós.

Só uma coisa: não entendi porque me chamaste de Cris... ^^


Bjão!

Thaís. =)