segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Contra partidas


Que ambientes peculiares são as rodoviárias e os aeroportos da vida. Podemos passar um dia inteiro lá, observando as pessoas que vêm e vão e poderemos ver o amor aparecendo aqui e ali. São olhos ansiosos, esperando a chegada do amor. Ansiedade e saudade. Duas palavras que, além de rimarem, se unem nos minutos que antecedem a chegada do ônibus ou a abertura das portas do desembarque. Pode ser o filho, o marido, o pai, a mãe, um amigo. É o amor que está chegando em forma de gente.

Mas as chegadas não são permanentes. Os dias passam com rapidez. Tudo se faz alegria quando estamos juntos. São pequenos agrados: a comida favorita, o quarto arrumado, as visitas que se estendem por uma tarde inteira, todo o tempo dedicado à alegria de estarmos juntos. Até a hora de fazer as malas novamente e partir.

E lá vamos nós para a rodoviária, o aeroporto, a estação de trem... Quaisquer desses pontos de encontros e desencontros. Deparamo-nos com abraços que não querem se soltar. Afagos, carinhos, lágrimas de despedida, proporcionais ao tamanho da distância que está por vir. Gestos presos atrás dos vidros. “Eu te amo” emudecido dentro do veículo. Olhos que seguem a pessoa enquanto ela se acomoda em sua poltrona ou olhares que espreitam o avião até perdê-lo de vista no horizonte divisor.

Declarações de amor veladas até então, para terem mais impacto no momento da despedida. E o difícil ato de ter que dar as costas àquela partida e voltar para a vida normal. Aquela na qual passamos todos os outros dias aguardando pelo reencontro.

3 comentários:

Ruth disse...

BIA, BIANCA,
TEU PENSAMENTO NÃO PARTE, ELE CARREGA NOSSA SAUDADE,ACELERA A PASSAGEM DO ONTEM PARA O AMANHÃ.
A INTERPRETAÇÃO DA VIDA É DADA POR TI, NUMA FORMA BIANCA DE ESCREVER AS PALAVRAS REUNIDAS EM IMAGENS CLARAS DA ALMA!

Gonçalo disse...

O dia em que a Bianca lançar seu livro
Quero um autografado por ela =)

Ponho fé em um livro seu
Fazendo sucesso por todo Brasil kerida

Lova disse...

Ganhei o meu dia ao ler esta mensagem e me lembrar das vezes em que te busquei na rodoviária...
E a primeira, hein...
-Fábio (dizia eu), aquela eh a minha amiga de quem taaaaaaaanto te falei...
Aliás, impossível não reconhecê-la: o maior e mais lindo sorriso do mundo, e de braços abertos... Sempre de braços abertos esperando um abraço bem apertado com sabor de muita saudade...
Faz as malas amiga!! Vem pra cá...
Saudades, muitas...
Te amo!!! Lova.