terça-feira, 26 de agosto de 2008

À deriva


Minha alma está à deriva.

Meu corpo está em alto mar.

Fecho meus olhos e sinto o vento que me leva, me embala, mas não me diz mais para onde vou.

Perdi a bússola e o norte.

Deixei a terra firme e as certezas.

Não trouxe o mapa nem os medos.

Deixei para trás as raízes, o porto seguro, a mala carregada.

Abandono tudo em busca do horizonte que me escapa.

Permito-me ser guiada pelo coração apenas.

E meu coração é principiante nas artes do (a)mar.
Foi ele que me trouxe até aqui e me despiu de meus pudores e minhas dores.

Trouxe-me adormecida e me fez sonhar com o bom do por vir.
À deriva estou, diante da sua praia.

À deriva de tudo que sei e tudo o que conheço.

À deriva.

À espera de que você nade até mim e me ajude a remar.

2 comentários:

RUTH disse...

LINDÍSSIMO!

VOCÊ É CAPAZ DE BROTAR EMOÇÃO ATÉ DE UMA SERINGUEIRA ABANDONADA A RELVA E DELAPIDADA POR NAVALHAS AFIADAS.

Anônimo disse...

Bianca!!!
Lindo,Lindo e Lindo!!!
Me fez pensar que...
Hoje também me sinto assim...
Em tudo que acreditei hoje eu deixei de lado ....estou também à deriva... esperando que alguem venha me resgatar!!!
Este alguem existe... em vez de me salvar... pede pra mim nadar...em alto mar...
Beijão