quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Letras espelhadas




Nunca havia experimentado a multifuncionalidade de um simples batom. Nem a de um espelho. Nunca havia usado o espelho como folha de papel, nem o batom como caneta. Mas chega o momento em que as funções dos objetos se confundem tanto quanto a vontade de deixar um recado. Eu queria deixar uma mensagem para ti, sem saber exatamente o que dizer. Era aquela ânsia presa na garganta e na ponta dos dedos que fazem com que alguma palavra saia, ou falada ou escrita.

Era noite. Não tarde da noite: cedo da manhã. Tu dormindo, eu me preparando para sair. Arrumando a mesa do teu café da manhã enquanto me vestia. Olhando para o teu sono tranqüilo enquanto organizava a bolsa. Dando um beijo de despedida lembrando de pegar a chave e o celular. E aquela vontade gritando em mim para que eu gritasse para ti, silenciosamente, que te amo.

E na distração de passar o batom diante do espelho, pensei em usar os três elementos a teu favor: o espelho, o batom e eu. Juntos para te dar o recado certo. Ao acordar, tu não terias meus lábios, mas a cor que os cobre. Não terias minha presença ao teu lado, mas minhas palavras. Sempre as palavras. Aquelas que aprisionam meu coração e me fazem partir vazia.

E passo o dia assim, ausente das letras que sou para ti. Falando outro idioma que não o do amor. Esperando para voltar e retomar a fala, a língua, o beijo. Sentindo o coração bater em outro lugar que não no meu peito.

Só depois de nossos primeiros balbucios, dos sussurros e do diálogo feito mais de olhares que de discursos, é que volto para a antiga página espelhada do meu recado. Lá, vejo a tua letra embaixo da minha. Outra cor de batom respondendo minha frase. O reflexo do meu rosto marcado com tua caligrafia.


O espelho virou meu bloco de notas preferido. Não quero mais canetas nem lápis, só batons. Quero minha imagem riscada. Um A no pescoço, M na face, O no cabelo. Nunca foi tão bom ver minha cara de sono refletida no começo da manhã. É o teu reflexo que vejo. A tua letra. Tua mão me desenhando. Tuas palavras, que ainda te mantêm aqui.

4 comentários:

de Marte disse...

Lindo. Grandes textos, por esses lados do Atlântico! :D
Aparece sempre no meu blog. Os contributos sao todos bem-vindos e muitas vezes inspiradores.

Beijinhos de Marte

Concha disse...

Encantamento ,sedução...
isto é saber,é ser hábil , é ser inteligente.

Z, disse...

Que beleza...

Rodolfo disse...

Não não não, foi essa que gostei mais!! hahaha bjossssss